Insurgentes, semáforos, e outros plurais

Em uma das aulas, na versão original, o professor Girafales pergunta: Qual foi o principal adversário dos insurgentes? Nhonho responde: Os semáforos!

Bem, desde 2005, não é mais. A Insurgentes é uma das principais avenidas da Cidade do México, onde foi implantado um sistema de transporte coletivo, o Metrobús… baseado no Ligeirinho de Curitiba. Que, a princípio, parece ter resolvido alguns problemas de trânsito. O Metrobús foi adotado por custar menos do que o metrô (“O Metro, que tem o tamanho de um trem!”) – e olha que o metrô mexicano é um dos maiores do mundo, mesmo tendo começado a ser construído na mesma época que o metrô de São Paulo – cidade que, a princípio, não tem terremotos.
Olhando o mapa atual, com 11 linhas – e a 12 vem aí, dá pra ter uma ideia.
(Santa Internet, Batman: compare com o nosso, que tem o jabaculê de que metade das linhas daqui são de trem – “TÊ, ERRE, Ê, I, EIM, TREM!!” – e pelo menos duas das novas linhas vão ser de outro tipo de transporte, como monotrilhos.)

Se bem que, custar menos, sei lá, o bilhete de metrô é 2 pesos, e o de Metrobús, 15!… Deve ser bão pra caramba esse Metrobús, hein?

Anúncios

Adivinha quem está chegando aí de nuevo?

Ele mesmo, o evento CH no Chilango! Dia 12/12, Vamos ao Chilango com o Polegar Vermelho?… Não, não é pra você pintar o dedo e… Ah, vocês entenderam!
Nesta edição, abordando os mega-fâquim-desgraçêiteds Episódios Perdidos! E fazendo um encontro oficial do movimento Volta Perdidos CH. E se tudo der certo, pela primeira vez em um evento CH, Mr. Osmire Fields!
Que foi o primeiro dublador CH que eu soube quem era. Em 1992 ele falou ao Fantástico sobre um episódio meio chato envolvendo dívidas trabalhistas. Bem, 1992, lote de 92, reconheci a voz na hora. Ainda mais por ter assistido aos filmes Jabberwocky e A Vida de Brian, exibidos naquele ano e dublados pela Marshmallow, com muitos dos dubladores das séries CH, e neste último, Osmiro é o apresentador [pessoa que diz o título do filme, “versão brasileira fulano de tal”, etc.]. E phinalmente, se Deus quiser, le Professeur Girafales, Lucas, Shory e outros personagens, entre nós!!

Ah, além disso, o inesperado e inacreditível encontro de duas chicas, digo, de duas Chiquinhas! Sandra Marah (a da dublagem clássica, Programa Chespirito da CNT e Maria Antonieta em Sueños y Caramelos) e Cecília Lemes (lotes de 1988 e 1992 do clássico, Clube do Chaves e Maria Antonieta em todos os episódios de Chapolin que não foram cancelados) estarão cara a cara (sem Marília GabriHerpes) pra você phinalmente aprender e perceber a diferença – eu sei quem é quem, mas tem gente que não consegue distinguir.  É o conphronto do “A-B-C-D-E-ZZZ” contra o “Uéé uéé uéé”!

Más uma promocción do inenarrável Fã-Clube-Chespirito-Brasil!
Mais informaçãs aqui!

Quem gosta das velhas é o SBT

Agora  no SBT está passando o famoso episódio onde Chaves e Quico aprendem a tocar violão e ficam cantando “Quero ver, outra vez, seus olhinhos de noite serena” – versos que até quem não é fã da série já conhece.
Só que eu não sabia que esse episódio também foi dublado duas vezes.

Houveram alguns casos de episódios que infelizmente foram re-enviados para dublagem em 1998 e 1992. Uns poucos quando Sandra Marah foi pra Itália e foi substituída por Cecília Lemes, e outros por, sei lá, erros ou desorganização mesmo. Houve, inclusive, um episódio que foi dublado TRÊS vezes. Perda de tempo total. Se nada fosse repetido, acho que teríamos mais uns 15 episódios inéditos de Chaves dublados por Marcelo Gastaldi – a voz “clássica” de Chaves – e equipe.

2009: Eres não estão mais tão ferizes

Tentando agitar um pouco o menos visitado dos meus blogs, voltando no assunto que pra mim mais rendeu. E que, possivelmente, merecia até um blog só pra isso… mas aí falta assunto para tanto, afinal só vi um Shin Chan por aí, um Ranma de vez em quando, DBZ quando mudo de canal e está na TV Globinho , não sou um gerador de assunto pra isso, ao contrário do tema desenhos e personagens, abordado no blog Personagens & Cia.

Escrevi em 2007, se não me phalha a memória, um post chamado Eres São Ferizes. Era um olhar de um fã de séries CH para o mega-organizado, gigantesco e pontocom mundo dos fãs de Anime e Mangá, os otakus e otomes – assumidos ou que rejeitem esse título.

E em 2009, alguns motivos para a ‘fericidade’ estão meio mais pra lá do que pra cá. O Cosplay Brasil sofreu diversos baques e está se desphazendo a olhos vistos, e do portal legal que era, tornou-se um simples fórum. Não tiram mais fotos em eventos. That’s a feather. Procurando pelos concorrentes, descubro que o Otaku Riders sucumbiu. O único que está na contramão dessa tendência é o Cosplayers.net, que vendeu a almdigo, se associou à MTV e está em plena atividade. Interessante, a MTV pagando de boazinha, agora?…
E outra iniciativa Dharma, digo, da Yamato (o CB começou como um site dessa empresa), também está meio baqueada, o OhaYo! parou de postar notícias – uma das últimas foi a compra da Marvel pela Disney. Mãns este jura que vai voltar!

Enfim, não é um panorama muito inspirador, mas, estou trabalhando ainda no Tinha que ser o Chaves, que passará a ser em tableless design e com um menu flutuante, que será o mesmo em todas as páginas, facilitando a navegação no site. Só que são MUITAS páginas as do T!, por isso a trabalheira do caramba.
Mas coisas importantes já foram escritas. Por exemplo, antigamente dava a impressão que o primeiro trabalho de Marcelo Gastaldi foi dublar o médico que disse à sua mãe: “Parabéns, é um menino!”…  Calmaê. Agora sabemos que Gastaldi começou a ser dublador aos 15 anos de idade, na AIC São Paulo – que, entre outras peculiaridades, tinha vários estúdios simultâneos, um tradutor genial chamado Hélio Porto, e chegava a funcionar 24 horas por dia, haviam dubladores que passavam a morar nas casas vizinhas do imóvel na rua Tibério só pra trabalhar lá.
(Porca la miséria, peguei ônibus durante 8 meses naquele bairro, e o ônibus vira à esquerda pra uma praça, antes de passar na frente da BKS…)
[EDIT: Isso daria uma bela de uma história, mas o ônibus passa na rua Crasso, não na rua Tibério, antes de virar na praça Cornélia. Bom, pelo menos já sei que ônibus pegar caso algum dia eu seja ator profissional.]
Houve até o caso de um programa que foi dublado 2 horas antes de ir ao ar… Mas foi na AIC que Gastaldi adquiriu sua extrema habilidade de pegar as coisas logo de cara – e isso fazendo aquela dublagem ‘coletiva’ como a Herbert Richers fazia até os anos 90, como é reproduzida no filme Dias Melhores Virão.

Também precisamos reescrever à respeito dos boxes da Amazonas Filmes, um projeto que acaba de ser concluído, com o lançamento do Box 8. Uma coisa que já está escrita é um “quem é quem” melhor dos dubladores não-clássicos das séries, uma tarepha pela qual agradeço desde já a TV Capricórnio, que me deu umas dicas bacanas de quem eram alguns deles.

Queria muito fazer um site ponto com, como todos esses aí fizeram, mas se algum dia isso acontecer, é provável que o carro-chefe do site seja outro dos meus projetos, desses que você já conhece. E por estas bandas latino-americanas, bola pra friente, Brahill!… Ou melhor, ボラプラフレンテ、ブラジル!

Às vezes eles voltam! TV Capricórnio

A TV Capricórnio está ensaiando uma volta, e estamos dando uma phorça pro pessoal. Assista: http://www.tvcapricornio.com.br.
Além de, por enquanto, 1 programa atual, veja as edições antigas de Versão Brasileira, com vários dubladores que o pessoal que curte o trabalho deles sempre quis conhecer, e Papo com o Machado – incluindo uma entrevista DUCA com Adriel de Almeida, que fazia o Jaspion naqueles shows ao vivo (Nelson Machado escreveu o roteiro do primeiro deles!) E, de curiosidade, alguns curta-metragens (sérios, mas interessantes) e videoclipes produzidos pela TV Capricórnio.
Então, veeeja! http://www.tvcapricornio.com.br.

Detalhes do Chaves…

Primeiro aqui no blog, direto de um computador secundário, porquê nosso computador principal está com os rins que nem os do Seu Madruga.
– Em 1975, Chiquinha sabia cozinhar frangos – e o que é pior, in natura e vivos!! Já em 1979 o máximo de culinária que ela sabia era ferver o leite…
– E no atualmente sem-tela Chapolin Colorado, no episódio “O Mistério do Morto que Morreu” as velas do caixão usado no episódio aparecem, ora acesas, ora apagadas, sem explicação.
Vela é uma coisa desgraçada pra televisão: assim como cigarros, elas podem funcionar como um cronômetro, denunciando que cenas foram gravadas antes ou depois de outras, assim como em um episódio dos Simpsons onde Homer vem se defender, em um talk show, de uma acusação de assédio sexual. O talk show edita e distorce completamente a fala de Homer, mas a maneira que a série mostra isso é de chorar de rir, o apresentador é “atacado” por uma imagem em pause de Homer, e pra deixar isso bem claro, há um relógio atrás de Homer que denuncia as edições em sua fala.

Estava em progresso uma conversão do site Tinha que ser o Chaves para tableless design, mas o processo foi bruscamente interrompido ontem, quando uma falha de causas ainda desconhecidas (desconfio de oscilações de energia elétrica durante a hibernação do computador) corrompeu o diretório system do Windows, fazendo o computador não ter mais nem mesmo o modo de segurança.
Já já tentaremos restaurar o Windows – original, diga-se de passagem, e espero que dê certo, porquê o computador já foi reformatado 5 vezes desde 2003, e não gostaria de fazer isso mais uma vez com os mesmos HDs.

Adiós frames qüeridos no los veré rramás

A home do Portal Igor C. Barros e os hotsites Zicky Zira e The Nampsons – ambos clamando por reformulações e novos desenhos urgente – já estão completamente sem frames e tabelas, usando design CSS. Por enquanto, na forma mais simples, sem o posicionamento de imagens. Os Esta imagem foi desenhada em 1999, antes mesmo do site existir, para uma tentativa de desenho animado. Tudo desenhado com... MOUSE!Nampsons ainda tinham frames, mas já não tem mais. (Só faltam imagens novas, vetorizadas, sei lá, tem uma imagem de 1999, de quando o mundo era mais feliz, mas eu era um desenhista podre!)

Uma coisa que eu achei SENSACIONAL no CSS é que a parte do conteúdo não estica o menu – isso acontecia direto quando eu tentava fazer sites sem frames, mas com tabelas (como é o site Igor C. Barros Cartoons, que teve vários menus arregaçados…)

É claro que o que todos aguardam e esperam é a conversão de Tinha que ser o Chaves. E é aí que a porca torce o rabo. (Que porca? A… a sua!) Afinal, são pelo menos 5 vezes mais páginas, algumas com visual ultrapassado e com sérios problemas de formatação (é tag /font espalhada em tudo quanto é lugar, em outras é /span isso, /span aquilo) – algumas páginas foram criadas pelo FrontPage Express, que, sei lá, faz HTMLs muito poluídos.
O processo vai ser bem mais demorado, mas se tudo der certo, o Tinha que ser o Chaves, além de ficar ducca, vai ser um dos poucos sites CH ativos da atualidade. Mesmo porquê, algumas seções “páram” em 2003, e precisam ser DEVERAS atualizadas. Então, aguardem e confiem.
O site da Televisão Salt Cover ainda tem tabelas. Em breve ele também será substituído por outra coisa que eu estava desenvolvendo, com um visual parecido com isso aqui. Quem sabe?…