Arquivo da tag: Tô bege!

Essa não!

Ohaaaahhhhhaooouhhhhhh®
Era só o que phaltava… Os herdeiros de Edgar Rice Burroughs, escritor, estão tentando registrar nos direitos autorais o grito do Tarzan, na União Européia.

Não conseguiram apenas por não conseguir descrever exatamente como é o som, que ficou phamoso na voz de Johnny Weissmuller. Mas eles podem conseguir: a legislação permite que sejam anexadas amostras de áudio a esse tipo de processos. Seria algo como registrar uma música, por exemplo.
Caso venha a dar certo eles podem ficar milionários (e por muito tempo, já que o registro vai valer pelos próximos 80 anos, salvo se estiver enganado) e… eventuais sátiras sejam obrigadas a gritaire de outro jeito.

Isso me lembra uma piada do Casseta & Planeta, de um adolescente nerd (interpretado por Marcelo Madureira) que teria registrado o som do modem de conexão discada entrando na Internet e ficou milionário (o som seria do gato dele entrando no liquidificador… XD) , a ponto de ter a “canzión” gravada pelo hoje saudoso Luciano Pavarotti (e um tenor entrava e entoava algo como “IIIiiiiii óóóóóó rrrrrrr…“)
Mas esse som não era exclusivo da Internet… Nos anos 80, o Videotexto (serviço da Telesp acessível por computadores como os MSX) ao ser conectado também fazia um som parecido.

Este post está horrível. O de baixo é bem mais interessante.

Anúncios

Posts aleatórios

GENÉRICAS
Tenho um gosto musical pherrado, agora tenho certeza. Primeiro, uma das músicas que está no meu playlist, Lady in Red, de Chris DeBurgh, é considerada uma das músicas mais chatas de todos os tempos (não a considero, pelo contrário, tem coisas MUITO MAIS chatas por aí – cadê a Celine Dion que não entrou nessa lista?? E a música assoviada do filme Kill Bill???) – no primeiro lugar dessa lista está uma música sem letra, a versão original alemã da Dança do Passarinho, do Gugu.

E agora, uma música que I Curt (antigo serviço de revelação de fotos) é considerada como uma das piores letras de todos os tempos: Smooth Operator, de Sade Adu. Bem, a letra tem uma pequena gafe, ela diz: “Coast to Coast, LA to Chicago”. Vá ao Google Maps e perceba que Chicago não fica na costa leste dos EUA, e sim um tantim antes – bem mais pra lá ficam cidades pequenas como Nova Iorque… Veja a lista completa com link para as letras aquá.
Bem, e como diz o Quico, estamos aí pro que der e vir, do Oiapoque à Itajaí!

POOOOTZZZZZZZZZZZZZZZ

Pais tentam batizar a filha com o nome de Metallica, mas o registro de nomes sueco não deixou
E ainda por cima tem um mau gosto do caramba! Eu no lugar deles batizaria a criança com o nome de um defensor do MP3, Weird Al Yankovica, que tal??? Ei, peraí, tomate não!… Ai…

A ponte dos índios e muito menos (2007)

Você tem medo de altura?
De repente, Luke Skywalker deu uma passada por aí antes de se estabelecer em Tatooine…
Está sendo inaugurada hoje, nos EUA, a Skywalk, uma ponte em forma de U com piso de vidro, pela qual quem pagar o ingresso de 25 dólares, verá abaixo de si o Grand Canyon. A iniciativa é dos índios Hualapais, que habitam aquela região e andam precisando de uma grana. Só uma pena que o site oficial da ponte, que traria mais detalhes, aparentemente tem acesso restrito aos EUA e não carrega aqui no çervisso (teria que fazer aqueles lances de proxy).

É, mais um assunto para os programas vespertinos da Rede Record… Se bem que falta eles mostrarem coisas daqui do Brasil mesmo que as pessoas não conhecem, como por exemplo, o caso do antigo teatro da Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre), que pegou fogo e continuou a ser utillizado, durante algum tempo, com a fachada chamuscada. Ou o Shopping Alta Vila, em Belo Horizonte, construido em uma torre de 101 metros de altura (só descobri a existência dele, ironicamente, pela Desciclopédia, no tópico “Belo Horizonte”, que diz que esse shopping anda ligeiramente à las muescas, por ficar no final de uma mega ladeira e na fronteira do município!). Segundo o site, o topo da torre foi colocado por dois helicópteros, e o shopping é uma das primeiras construções brasileiras a ser iluminada por LEDs (Lumileds da Philips), uma tecnologia que começa enfim a chegar ao Brasil.

CHAPOLIN RODOU
O SBT deu um tiro no próprio pé, de novo. Chapolin, que era exibido aos sábados, foi substituído por Eu, a Patroa e as Crianças, uma série engraçada, mas que, pra mim, perdeu a graça a partir de hoje.
Ô emissora pra fazer KG@#$%¨&* esse SBT, viu! Dá até a impressão que eles querem acabar com a empresa pra ficar com o dinheiro do seguro!… E olha que eu estou escrevendo isso vários dias depois, depois de finalmente me acalmar. Chapolin vinha dando 10 pontos no Ibope. Porquê não colocar “Eu a Patroa” no lugar do decadente Comando Maluco, então?… Não sou “pró-Didi”, como os críticos desse programa, mas ele vem descendo a ladeira continuamente há mais de ano, e de um sopro novo no humor nacional, virou o velho bafo de sempre – um bafo que só não é mais quente porquê não tem mais a Escolinha do Professor Raimundo.