Arquivo da tag: outros

Cara, cadê o seu site?

Logo depois que houve o 2º FBV (sobre o qual nem consegui escrever direito ainda!) o site Tinha que ser o Chaves ainda estava no ar. Achava que tinha 3 toneladas de material novo para colocar no site! Mas, infelizmente, houve uma falta de tempo, combinada à uma estratégia equivocada da minha parte – quando o Twitter surgiu na minha vida eu larguei os blogs. Algo que eu estou tentando corrigir aos poucos. O blog SodTV! parou de ser atualizado por outros motivos (eu já não estava conseguindo ver o Pânico na TV em tempo suficiente sem que isso detonasse com a minha saúde.)

Voltando ao t! (porquê T! é o inoxidável Toonapalooza!, da maior cartunista DO MUNDO, ela que não sabe disso).
Desde… sei lá, desde algum ponto de maio em diante, o site saiu do ar, dando a curiosa mensagem This host is not active yet (Host ainda não ativo). Curiosa porquê o meu acesso ao FTP do site está 100% normal, sem mensagem de erro alguma (eu estava esperando alguma mensagem de recepção dizendo alguma coisa, mas nada.) Eu só gostaria de saber porquê raios o site foi retirado do ar. Não recebi nenhum E-Mail à respeito!

Não sei se houve alguma falha lá na 50Webs, não sei o que aconteceu. Se eu “perdi” o site (perdeu, preibóy!), como é que eu ainda tenho acesso ao FTP? Só faltava, e que o Senhor nosso Deus nos livre e guarde disso, sites em geral estarem sendo vítimas de um crivo tão rigoroso quanto o de, digamos, vídeos no YouTube, por exemplo. Mas acho que não é isso, senão Tumblr, Desciclopédia e a Cheezburger Network inteira não poderiam existir. Fora iniciativas mais hardcore, como YTMND e o 4Chan. (Pra quem não se lembra, junto com o t! estava um hotsite chamado The Nampsons, onde eu parodiava os Simpsons à minha maneira.)
E fora… os demais sites CH, caramba!

A ficha caiu com mais força neste último final de semana. Até agora eu não sei o que fazer. Mesmo porquê o meu outro site também tem problemas – o site Igor C. Barros Cartoons está no ar, só que nesse eu já não tenho mais acesso ao FTP!

Cadê tempo e principalmente, dinheiro, na forma de cartão de crédito internacional (o meu cartão de poupança, infelizmente, não é aceito, e começa a dar sinais de demência) para resolver esses problemas?

Por mim, e que isso fique entre nós (por favor, você que veio lá do Twitter, não diga nada, não espalhe o que vem a seguir).

Estou na Internet com sites desde 1997. Já passou da hora de eu ter pelo menos UM site ponto com, ou ponto qualquer outra coisa. O chato é achar algum hospedador que CONCORDE em hospedar o conteúdo que eu tenho a oferecer. E se eu superasse esse problema do dinheiro (com esse cartão poupança eu me sinto como se tivesse dinheiro do Banco Imobiliário nas mãos, sabe…) eu talvez tenha umas 3 empresas em mente.   Além do que eu conheço pessoalmente o pessoal de uma outra empresa de hospedagem de Internet [essa aqui, que tem uns clientes dos bons !], que por acaso, são parentes do meu patrão. Só que eu jamais troquei ideias com eles à respeito de sites ou de vir a ser cliente deles. E acho que eu seria o primeiro cliente deles pessoa física!!!  A menos que eu abrisse a Igor C. Barros Produções Artísticas (para com isso também encampar a TV Salt Cover). Que me levaria à outro drama: gastar o equivalente a um carro importado com encargos para aberturas de empresas, despesas diversas, IR e software. E carro, não tenho nem de controle remoto.

O que eu faço, gente? Faço sopa? Dou uma cambalhota? Me mudo para Sealand? Exigir que eu “coloque o site de volta” é inútil, porquê eu não o tirei do ar. Aliás, 100% do conteúdo do site está comigo, em perfeitas condições.

É chato, porquê a 50webs era quase que o lugar dos sonhos: gratuita, com FTP, sem restrições de acesso por país (como a KIT.NET, que me deixou na mão em 2000!!!) e só com as velhas restrições de sempre (algo totalmente contornável com os sites associados.) Aliás, nesse eu já não podia hospedar Flash, tecnologia que eu estava começando a dominar e que tive que abandonar às pressas. Também não implicava com largura de banda, como o lugar daonde eu vim antes.

Então, ou eu acho um novo oásis na Internet desta era pré-Apocalipse, o que é extremamente difícil, ou eu parto de vez para a seara dos sites pagos. Ou que surja um milagre dos brabos, à la Canal 21.

Anúncios

Às vezes eles voltam! TV Capricórnio

A TV Capricórnio está ensaiando uma volta, e estamos dando uma phorça pro pessoal. Assista: http://www.tvcapricornio.com.br.
Além de, por enquanto, 1 programa atual, veja as edições antigas de Versão Brasileira, com vários dubladores que o pessoal que curte o trabalho deles sempre quis conhecer, e Papo com o Machado – incluindo uma entrevista DUCA com Adriel de Almeida, que fazia o Jaspion naqueles shows ao vivo (Nelson Machado escreveu o roteiro do primeiro deles!) E, de curiosidade, alguns curta-metragens (sérios, mas interessantes) e videoclipes produzidos pela TV Capricórnio.
Então, veeeja! http://www.tvcapricornio.com.br.

No frames, no games

Antes de mais nada, este post também é um pequeno teste. Os posts que eu escrevo com qualquer palavra em inglês no título vive chegando spam  nos comentários.
Mas a notícia é que, em breve, vem aí a versão tableless design de Tinha que ser o Chaves e outros os sites correlatos. Eu também não acreditava que isso fosse possível, mas assim é.
Entre outras vantagens, os sites ficarão mais leves e se adaptarão melhor a diferentes resoluções de tela.

E eu sei que são duas tribos completamente diferentes, mas vai aqui mesmo: ao pessoal que acessa o Igor C. Barros Cartoons, a vontade que eu tenho é de trocar 100% dos desenhos que tem lá, tem muita coisa ultrapassada, o visual dos personagens hoje em dia está muito melhor, e hoje em dia, com o Inkscape, é possível vetorizar e colorizar os desenhos mais fácil e rápido.

Mais personagens vindo aí

Este post era mais pro SodTV! (queiram ou não, é um programa de televisão) ou para o Personagens & Cia (envolve personagens), mas vamos agitar então um pouco o menos visto dos meus blogs. Tinha que ser o do Chaves! Pipipipipipi…

Mas, aproveitando: em breve o Tinha que ser o Chaves vai ser reformulado, com mudança de visual e um pouco mais de espaço para o Zicky Zira, porquê os Nampsons (que andam meio velhinhos, surgiram há 10 anos) vão pra geladeira à espera de mais inspiração e dias melhores para o humor na Internet. Se os Simpsons já fazem parte da paisagem, os Nampsons, então, caíram na Lei Cidade Limpa… Mas vamos lá.

Não faz muito tempo eu falei sobre a Turminha da Graça, uma turma de personagens na qual se inclui R.R. Soares (da Igreja Internacional da Graça de Deus, mais conhecida por estar no horário nobre da Band), como o personagem Missionário. Parece que foi criada uma outra turma, essa com direito inclusive a desenhos meio-animados à la Chaotic, já phlagrei um deles, na qual o protagonista é baseado na inphância deste, o Midinho (seria o apelido de Romildo Soares à época.)
Pois é. E bem longe das 22 horas de programação no Canal 21, surge na Igreja Mundial do Poder de Deus una otra turmilla muy interehánte, a Turminha da Mundial, que até agora só está em um jornalzinho (como o dos adultos de lá, impressos sem periodicidade, estilo fanzines) e um livro.
Nessa turma – bem ousada para os padrões do gênero, com integrantes de cabelos verde, azul, uma distante homenagem ao estilo nipônico – só se reconhece Santiago, como o garoto Miro. Ninguém mais da IMPD real é retratado – só se por um mero acaso uma das garotas se chamar Franciléia ou algo assim (esposa deste na vida real, nessa denominação as esposas de pastores e bispos são muito valorizadas).
O que me chamou a atenção é que logo de cara, o primeiro livro protagonizado por eles já parte para a pior experiência já vivida por Valdemiro Santiago, com direito a uma capa até um tanto dramática demais… mesmo sabendo que incrivelmente o final disso foi feliz – no local mais mostrado no Canal 21, que fica no Brás,  há um público impressionante para um local fechado como aquele, em cifras que já lotariam estádios de futebol como o Alfredo Schürig, por exemplo.

Enfim, essa história foi um quase Titanic versão individual. Pra quem não sabe, em 1994, Santiago chegou a ter sua morte noticiada no Jornal Nacional, quando na verdade ele estava em alto mar, porquê sabotaram o iate onde ele estava, nadando exaustivamente desde a manhã até chegar as 5 da tarde à terra firme, sendo que teoricamente ele não deveria chegar lá porquê as correntes marítimas são ao contrário da direção que ele pretendia seguir.
A história original é contada em um CD e um livro, não lá muito caros para quem tiver com cartão à mão e quiser tirar a curiosidade.
Resta saber se la criânçada, principalmente os que assistem o programa, vão curtir. Apesar do programa às vezes pegar um pouco pesado, como eu já disse em outro blog (e estou pensando em apagar o que disse, está fazendo um sucesso “felino”, digamos assim), muitas crianças assistem o Canal 21, mesmo não havendo lá programação “infantil” ainda (está nos planos da denominação fazer isso).

Falta a golducha emaglecer um pouco pla deixar mais espaço pla galela nas bancas por aí. Não somos chaveiros, mas em breve voltamos com mais Chaves para vocês.